Páginas

sábado, 8 de novembro de 2014

Sentido

E num segundo se vai
e na lembrança fica
e confesso que não sei
não sei o que procurar
o que minha mão deseja alcançar
não se pode pegar
o que eu procuro não esta em algum lugar
alguns dias pensei ter tido
me deixando sem procurar
mas onde esta?
tantos dias tantas horas de minha vida
onde esta
meu tempo
aquela flor na cabeceira
a de muchar
no dia em que eu parar de cuidar
então por que será que um dia
eu quiz dar vida
por que controlar
não sei o pra que o prazer de criar

Nenhum comentário:

Postar um comentário