Páginas

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Paranoia 3

Como poso, eu digo
Não sei, saber
Essa presença que ilubre
Me digo, não sei?
O que foi, quem é
E esse som que não se escuta
E essa voz que não reconhece
Quando a noite rodeia tantos corpos
E o bebê no quarto ao lado chora
Enquanto vê a sombra se mexer
Então diga-me
Por que?

Nenhum comentário:

Postar um comentário