Páginas

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Presença

Por que não me diz seu nome
Sei de teu rosto sem te tocar
Sinto tua presença a rodear
Nas caricias dos desenhos sonhados
Acordado mas de olhos fechados
Te vejo...
Em meus sonhos
De cabelos escuros, na altura dos ombros
Toda nua
De corpo torneado
Em curvas perdidas
nessa tela em preto e branco eu fico a vagar
Onde me perco
E acabo à acordar
Nessa realidade
Mas não sei aonde possa estar

Nenhum comentário:

Postar um comentário