Páginas

quarta-feira, 1 de janeiro de 2014

Longe de lugar algum

Por entre vazios entre os dias
Vejo lampejos que me fazem ver
O rumo que tudo anda tomando
Vejo vazios que findam em becos
Ecoantes e indigestos
Não é como agente quer
Não sei o que fazer
Estou entre tantos

Sozinho nesse barco
Com pesos nos braços
Com sede
Estou longe de lugar algum

Nenhum comentário:

Postar um comentário