Páginas

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

Olhos d'água

Com os olhos rasos d'água  ficava parada ela a olhar.
- O que quer que eu diga? - perguntou ele.
Com a maior das tristezas ela respondeu - nada.
- Então pare de chorar!
- Não posso, não consigo, acha que choro por que quero? seu idiota.
Assim os dois ficaram quietos por alguns minutos, como se pensassem em algo para dizer, mas não encontravam, ou não achavam que era o certo.
Na verdade o que prevaleceu foi o medo, o medo do poderia acontecer, o medo do que iriam dizer e que poderiam se arrepender, o medo do que poderiam escutar...

Nenhum comentário:

Postar um comentário