Páginas

quarta-feira, 19 de setembro de 2012

Vela

Uma vela quase apagando
Aos poucos a claridade diminui
E as trevas vêem envolvendo cada vez mais

Só posso ver a vela
Bem distante
Onde não posso alcançar

Aquele fogo que não se apaga
Some com o vento
Porem volta surgir

Essa vela que encendeia
Que me queima vivo
Que me agoniza em dor

Vela que me guia quando falta luz
E os dias são tão escuros...
Porem não acho que seja caminhos corretos ou bons

Esse fogo que não se dilata
Que me tem na mão
Tem dominando cada existência minha

Um comentário:

  1. "Esse fogo que não se dilata
    Que me tem na mão
    Tem dominando cada existência minha"
    Eitaaaaa Beller!!!

    ResponderExcluir