Páginas

terça-feira, 11 de setembro de 2012

Sobrevivendo

Tento todo dia sobreviver sem você
Porem é cada vez mais difícil
Sinto tanta sua falta
O mundo para mim perdeu o valor
O sentido da vida se extinguiu
E aquela moça nem se importa
Como eu vivo, se vivo
Muito menos como estou

Por dentro estou morto
Sou esta carcaça que perambula
Do trabalho para casa todos os dias
Que arruma desculpas quando os amigos chamam para algum lugar
Em plena amargura culpo-me por estar assim
Apagado
No contrate da sociedade
Onde tantos desiludidos morrem
E poucos se recuperam

Nenhum comentário:

Postar um comentário