Páginas

domingo, 16 de setembro de 2012

No silencio das noites

Nas noites que não durmo
Passo em claro a vagar
Perdido nos delírios e lembranças
Fumo cigarros em minha área
Bebo wisck com gelo
Talvez única hora que sinto-me livre de verdade
Sem me importar com mais nada
A não ser comigo
As vezes canso de sentir pena de mim mesmo
E tento disfarçar de mim mesmo a solidão
Em musicas e vídeos
Então o sol nasce
Lembrando que passei mais uma noite inteira em claro
Atormentado
Eu, eu comigo mesmo
Na imensa escuridão
Olhando o negro céu escuro
Degustando minhas alegrias e agonias

Nenhum comentário:

Postar um comentário