Páginas

sexta-feira, 14 de setembro de 2012

Alvorada

Na alvorada que agora surge
Vi todos os seus sonhos que comigo compartilhou

Clareou-se um novo dia
Mais um dia daqueles que se prefere não viver
Permanecer estagnado na cama

Vi todo nosso futuro se desmanchar
Esfarelar como grãos de areia soltos ao vento
Plainando pelo tempo e espaço dessa vida

Queria tanto viver aquele sonho
Viver nossa vida em comum e em plena união
E não paralela como hoje estamos

Creio que um dia sonhou comigo
Já eu todo dia sonho contigo
E isso tem se tornado meu pesadelo

Nenhum comentário:

Postar um comentário