Páginas

sábado, 1 de setembro de 2012

Ainda te amo

Na inquietude do pensamento que não se sacia de ti
Todo dia lembranças suas me trás
Pego me vendo a foto tua de menina tímida
Neste momento não me arrependo do sofrimento que me causa

Afinal eu vivi
Vivi quando esperança tinha em tela ao meu lado
Tanta insistência de minha parte fez com que uma chance me desse
Por breves instantes pude a felicidade alcançar
Naquela noite era mais não era você
Já não tinha aqueles cabelos castanhos
Já não era tão você
De emoção, eu acho, nem pude notar
Afinal você estava lá
E por instantes tive você nos meus braços
Ou pelo menos o que era você
Sinto sua falta...

Falta sua,
De quem você era para mim
Você era minha vida
Minha vontade de viver
E você se foi...

Nenhum comentário:

Postar um comentário