Páginas

segunda-feira, 20 de agosto de 2012

Perdido

Me perco...
Me perco dento de mim mesmo
Me perco em meus desejos
Me perco em meus anseios

E cada vez que me perco encontro mais...
Às vezes mais feliz
Às vezes mais triste
Às vezes mais perdido ainda

Perco-me quando te vejo
Perco-me quando não vejo
Perco-me em palavras ao falar com você
Perco-me em palavras ao falar de você.

Hoje me vejo como mais um perdido no mundo
Daqueles que ninguém nota que esta perdido, pois presente de corpo esta lá
Corpo que esta lá por estar
Pois comparo a uma folha solta no vento
Que plaina e que fica aonde o vento levar
Assim o destino é meu vento
Que leva e me deixa aonde lhe convier
Ou onde não incomodar.

Um comentário:

  1. Às vezes a solidão, vem alem do silêncio de seu murmúrio doce... Nós pega pelas mãos e puxa de nossas palavras e companhia mais pura de nosso dom...

    ResponderExcluir