Páginas

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Os acordes da serenata do proprio martírio

A presente ausência novamente aqui traz
o que perpetua a angustia do tormento ardente
e o Sol de tom suave em melodia que inoja
aqueles que por sua vez não sabem o que é o amor
pensando saber o que se diz o denominado menestrel.

Tocava-se em tom menor, as melodias brasileiras de bolero
aquelas, que em  tabernas ecoava gritos e juras por mulheres desclassificadas
na noite o som estridente da sinfonia melódica, apaixonada e chorada
que gravada fica na mente de quem vive um amor impossível de ser vivido
cantando a tristeza da alma, que por nostalgia grita e ri
talvez quem sabe em desespero alguem escute e entenda
a dor de quem ama ou amou alguem na vida
que já lutou, e por estar cansado de se maltratar por quem não o quer, se afoga em seu planto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário