Páginas

terça-feira, 28 de agosto de 2012

Mulher desgraçada

Pensava que por mim eram teus sorrisos
Que ao sentir minha presença sentia que o mundo parasse de girar
Que em teus sonhos mais profundos, escutava minha voz, e se entregava como a criança que acabou de descobrir o amor
Lembro-me que sem reação fiquei quando disse com todas as letras que me amava
Naquela hora sem reação ficava
Por ter como certa a felicidade que seria para toda a vida
Afinal de contas, quanto eu demorei a admitir que te amava
Ficamos lá nós dois parados perplexos em meio a tanto amor e tanta loucura
Você entendeu minha gagueira naquela hora
Veio ao meu lado e disse
- Não precisa dizer nada...
Naquilo meu coração se encheu de alegria
Porem, não foi isso que aconteceu
Eu te levei flores
Que te amava todos viam
Então só as flores você aceitou
Carregando as para dentro de sua casa
Com todo o orgulho de mulher
E eu a esperar um beijo que até hoje não tive o prazer de experimentar
Raiva! Como a tive de mim mesmo
Dos meus olhos a água salgada e a doce se misturavam no chuveiro
Única hora que me permitia chorar
Você tornou-se meu encosto
Que me assombra e me atrapalha de viver
O peso de uma vida minha antiga que carrego nas costas
E o pior é que fico esperando que um dia sinta minha falta
E eu não sei se não te aceitaria.
Mulher desgraçada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário