Páginas

domingo, 26 de agosto de 2012

Conversando com a morte

Conversando com a morte
A morte me faz propostas tentadoras
Sempre a me tentar com minhas duvidas
Como eu posso largar tudo
Largar minha família
Largar essa bosta de vida
Essa merda desgraçada
Que não tem sentido nenhum
Mais é minha
Não sei o que fazer com ela
Nunca soube
As coisas foram só acontecendo
Nunca planejei nada
Como posso abandonar meu cárcere
Minha sina que o capeta traçou juntamente com Deus
Como posso ser covarde a tal ponto
Ser egoísta de não pensar nas pessoas que eu acho que me amam
Mais é tentador
Ainda mais para quem não vê sentido na vida
Que acha isso tudo uma falsidade sem tamanho
Minha perna doe dos murros de desespero dos quais soco sem parar
Tremo de raiva
De desespero
Da qual nem sei de onde vem
E a proposta esta cada vez mais tentadora

Nenhum comentário:

Postar um comentário