Páginas

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

Alegria robótica

Chega a ser até engraçado, porem na verdade vergonhoso até pode ser chamado, a falsa idealização que passamos nos dias de hoje. Onde todos vivem suas falsas alegrias criadas escondendo cada vez mais o que realmente quer dizer, e assim cada vez mais todos se desfazendo por dentro, virando até escravo do mundo que não impõe estar sorrindo todo dia para todo mundo.
Todos temos direitos, debato por ter meu direto de sofrer quando necessito sentir me mais humano, tem horas que esquecemos que somos frágeis, e vivendo nessa alegria robótica.
O fato é, ninguém mais se deixa sentir que realmente vive, que pode ser realmente feliz, que pode ser realmente triste, que pode explorar cada ponto de seu próprio estado e voltar a viver, invés de vegetar a passar na vida.
Como disse outro dia em uma convença "ninguém mais toca Legião", todos vivem sedados por musicas do mercado, tornando-se zumbis, aqueles que não sabem nem o que a musica quer dizer e lá estão gritando, o fato é que não vai existir outra como Clarisse.
Lembro-me que até o Rei Roberto Carlos já cantou "...se chorrei ou se sofri, o importante é que emoções eu vivi.".

Nenhum comentário:

Postar um comentário