Páginas

sábado, 12 de novembro de 2011

147

Foi preciso uma lagrima rolar para o coração entender
Consegui isto alcançar quando a água sobre minha cabeça desabava-se o céu
E então esta água doce como a de um rio, em um mar de tristeza se transformou
Parti-me na tempestade de seus olhos me dizendo adeus
Eu que aprendi a amar
Aprendi que para viver é vida não tem que estar vivo
Quando tive a certeza que a saudade mata

Nenhum comentário:

Postar um comentário