Páginas

sábado, 15 de outubro de 2011

105

É tão fácil esquecer
Não!
Não para quem realmente amou
A dor é infunda e infinda
Um vazio no peito a queimar
Um pressentimento do fim
Os olhos a nadar em meio o mar do desespero
O que mais dói é sentir que nunca mais vai vela
  
Infelizmente é mais complicado que isso
Certas coisas não podem ser feitas
Acho que é tudo tão complicado

Mais no fim somos nos seres humanos
Com a nossa complexa ignorância
Que complicamos nossas vidas e situações

Trazemos o inferno em nossas vidas
O que podia ser perfeito acaba sendo quebrado
O rancor domina
O egoísmo é estremo
E então escolhemos o fim

Quem matou foi quem realmente morreu
Com tanta dor tenta se arrastar até a porta
Ainda resta-lhe um pouco de vida
Sem expectativa de cura para seu coração dilacerado

Nenhum comentário:

Postar um comentário