Páginas

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

45

No céu não a estrelas
Muito ao menos o brilho do luar
O silêncio ecoante me atormenta
Sozinho eu fico a pensar
Sem fixar em nenhum deles
Apenas a modo da hora passar
Quatro horas numa noite tediosa
A madrugada custa a passar
Já é de manhã e o sol vem nascendo
E com ele minha mente clarear
Parece que estou a voltar à vida
Mais já esta na hora de ir deitar
Ao deitar minha cama parece que gira
Mesmo assim o sono custa a chegar
Vejo o relógio despertando
Já é tarde tenho que trabalhar

Nenhum comentário:

Postar um comentário