Páginas

sábado, 13 de agosto de 2011

6

Como ousa entras aqui deste jeito
Ser humano covarde que tanto me negou
Agora vem em minha casa implorar perdão
Se fazer de inocente
E vem a mim pedir ajuda
Como se não soubesse do mal que causou
De sua falsidade
Que apenas esta aqui para tentar se safar da suas atitudes
Que na realidade sente somente desprezo por mim
Acha que não seu o que faço
Mero mortal
Teu fim estas próximo
Daqui de cima verei com exclusividade
O teu destino por ti buscado se concluir
Muito breve me vera pessoalmente
Na hora da sua condenação

Nenhum comentário:

Postar um comentário