Páginas

sábado, 27 de agosto de 2011

36

Destinos incertos em plano estatizado
De uma maneira nada ortodoxa
O nunca mais pode não ser eterno
Esqueceu, acabou mais nada mudou
De uma forma desvairada tudo acaba fazendo sentido
O inaceitável acontece, e não se pode negar, só aceitar
Vai atrás do que queres
É tão fácil dizer
Tudo muda, tudo mudou, isto não muda
Universos diferentes, no mesmo mundo interligados
Eu te vejo e você me vê, mais não nos vemos
De forma tácita sempre saberemos o que sentimos
Pelo sim ou pelo não sempre algo acontece
Perturbação é estar mantendo algo finado ao fracasso
Queixume dos trajetos que a sorte pensou ser certo
Sentir-se isolado em meio a tanta gente
Briga insana para não lutar em uma luta de sofrimento finada ao fracaço

Nenhum comentário:

Postar um comentário